Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



30
Out18

NaNoWriMo

Para quem não conhece, NaNoWriMo significa National Novel Writing Month (Mês Nacional da Escrita de Novelas). É um desafio mundial onde autores, escritores e aspirantes se focam em escrever um romance de 50.000 palavras. O objetivo não é finalizar o mês com um romance perfeito e pronto para ser publicado. O objetivo é vencer a procrastinação, escrever, escrever, escrever, e chegar ao fim do mês com um primeiro rascunho de uma obra completa.

Logo_of_National_Novel_Writing_Month (1).png

Eu sempre li muito. Mas mesmo muito, principalmente nos meus anos de adolescente. Tanto li que fiquei com o desejo (secreto até agora) de escrever, publicar e vender um livro. À parte daquilo que escrevo no blog, e dos emails que escrevo no trabalho não escrevo mais nada. Principalmente, nunca escrevi ficção. Decidi que este é o mês, que esta é a hora, que vou participar no NaNoWriMo e escrever um romance. Mesmo que não seja nada de jeito, ao menos provo a mim própria que consigo escrever 50.000 palavras.

 

Durante o mês de outubro preparei um esquema da historia o mais detalhado possível. Pesquizei o que tinha a pesquisar. Tenho uma playlist feita. Em teoria estou completamente pronta para o desafio.

 

Podemos ser budies e apoiarmo-nos mutuamente, basta apenas procurar por Marttokas. Para não deixar este blog completamente ao abandono deixei alguns posts agendados, com muitas fotos e pouco texto.

 

Desejem-me sorte!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Out18

Doar

Eu tinha partilhado aqui que queria começar a doar mais. Mas, 82 dias depois de partilhar as minhas intenções, ainda só doei os 10€ de que falei no artigo e 50 cêntimos que dei a uma mendiga. Está na altura de passar à ação. Quero aproveitar o evento deslumbrante que é a chegada do meu salário e implementar uma estratégia efetiva de doações.  

 

Primeiro fiz uma lista exaustiva de coisas que se podem doar. Deixem um comentário se se lembrarem de mais alguma categoria, mas todos os tipos de doações de que encontrei enquadravam-se num destes 3 grupos: tempo, partes do corpo e dinheiro.

 

Tempo 

Tempo é uma daquelas coisas que só se pode doar enquanto se vive. É o único recurso que todos temos por garantido, e como tal é um dos dons mais preciosos. Pode-se doar tempo de forma organizada, participando em associações ou eventos específicos. 

 

Deixo-vos uma lista exemplos, que tem por inspiração pessoas que conheço: 

  • Ser chefe de escuteiros 
  • Ajudar na paroquia 
  • Fazer voluntariado numa associação 
  • Partilhar uma "habilidade" com uma associação (o meu irmão faz reiki no lar de idosos da terra) 
  • Arranjar bonecas 
  • Participar em ações esporádicas (plantação de pinheiros nas matas nacionais, campanhas do banco alimentar) 
  • Dar aulas a idosos/ apoio escolar a jovens 
  • Partir em missão (eu estive 2 meses em Moçambique) 
  • Dar aulas de português no SPEAK 

 

Se precisarem de mais ideias podem procurar na Bolsa do Voluntariado associações em diversas áreas que procuram voluntários.  

 
Partes do Corpo 

É a doação que literalmente salva vidas. Dá para doar sangue, plasma, medula óssea, órgãos, cabelo, esperma, óvulos, e outras partes. É possível doar em vida, mas também na morte. Em Portugal qualquer pessoa, desde que não seja contra, é um potencial dador cadáver.

 

Eu tenho sorte e na minha empresa fazem coletas de sangue a cada 8 semanas. Nem sequer me preciso de lembrar de doar sangue, a empresa envia um email a avisar e no dia só tenho de sofrer uma picadinha e doar um saco, 450 ml para ser exata, do meu fluido vital. Também estou inscrita como dadora de medula óssea em Portugal.  

 

Dinheiro 

Doar dinheiro é o mais fácil e ao mesmo tempo o mais difícil de doar. Fácil porque o ato em si não tem nenhuma dificuldade. É só deixar cair uma nota (ou uma moeda), passar um cartão ou fazer uma transferência. Difícil por causa do apego, difícil quando ainda não se desenvolveu o hábito de doar e, para dificultar ainda mais, há incontáveis desculpas para não doar dinheiro. 

 

O dinheirinho é tão difícil de ganhar. O dinheirinho é tão difícil de poupar. Posso ir mais vezes ao restaurante, comprar mais roupa ou ir de férias, porque é hei-de dar o meu dinheirinho? E a quem? Mas há alguém/ alguma instituição que mereça o meu dinheirinho? Mas como é que sei que não o vão desperdiçar em jantaradas ou coisas parecidas?  

 

Mas, como dizia o Tony Robbins, quem não dá “10 cêntimos num dólar, não vais dar 1 milhão em 10 milhões , ou 10 milhões em 100 milhões”. Ou, citando um profeta que passou o teste do tempo, “Todas as outras pessoas fizeram as suas ofertas dando do dinheiro que tinham sobrando; ela, porém, na sua pobreza, deu tudo o que tinha para viver.” Mesmo na religião muçulmana um dos pilares é o Zakat, a caridade.


Há tantos problemas no mundo, tantas coisas que podem ser melhoradas, tantas pessoas que precisam de apoio. Há tanta gente em dificuldades, sem acesso a saúde, a educação, famílias que passam fome, crianças que não podem ir à escola, idosos em isolamento. Há tantos crimes contra o meio ambiente e contra os animais. É impossível estar envolvido pessoalmente todas as causas e muitas vezes, na nossa vida, não temos tempo e espaço para contribuir para um mundo menos desigual. Daí que doar dinheiro seja importante. É uma ação que chega a sítios em que nós próprios não poderíamos chegar pessoalmente, que se junta ao dinheiro dos outros e que, no fim, tem um impacto muito maior do que teríamos sozinhos.  

 
Se tiverem nenhuma associação ou causa especifica a quem queiram doar podem tirar ideias dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio. Depois é só pensar onde querem ter impacto, na vossa comunidade mais próxima, no vosso país ou algures no mundo?  

MAG_1710_Hero_Humanitarian1-1900x850.jpg

Eu com este artigo tinha a intenção de uma lista de associações e projetos interessantes, mas desisti. Decidi que em Outubro vou doar a uma associação que apoia sem abrigo na minha terriola adotiva. Em Novembro a uma associação que dá vacas a comunidades em dificuldades e que é promovida pelo Patrick Rothfuss, um dos meus autores preferidos. Em Dezembro vou doar ao Banco Alimentar. Em 2019 vou reavaliar esta estratégia e fazer os ajustes necessários. 

 

Por favor, deixem as vossas associações preferidas nos comentários como inspiração.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Faz de conta que o 19 de Outubro é o aniversario do blog. Não é a data em que criei o blog, mas é a data em comecei de novo a escrever e publicar regularmente.

 

Neste 12 meses de escrevi 52 artigos, recebi 31 comentários (confesso que metade fui eu que escrevi) e, de acordo com as estatísticas do SAPO, houve 5.170 visualizações.  

Blog visitas Ano.PNG

No ultimo ano escrevi sobre o meu acne hormonal e sobre a rotina de pele que implementei. Escrevi sobre ser vegetariana em part time e sobre poupar para um fundo de emergência. Escrevi sobre uniformes no dia a dia. Escrevi muito, sobre assuntos variados, e aparentemente pouco relacionados entre si. Escrevi e escrevo sobre as coisas aleatórias que me interessam e sobre as quais quero aprender mais. 

 

Aparentemente os leitores do blog também têm gostos aleatórios porque, daquilo que publiquei este ano, o top 3 de visualizações tem artigos de 3 tópicos completamente diferentes:

1. Decidi ser vegetariana à hora de almoço

2. As Senhoras são Milionárias - Introdução

3. Review SVR SENSIFINE

 

Um obrigado às pessoas que lêem, comentam e partilham o que eu escrevo.

E um parabéns para mim pela perseverança.  

 

Aproveito para fazer uma pequena sondagem, há algumas almas (ou bots) que continuam a ler isto e isto, e eu não consigo perceber porquê. Acham o tópico interessante?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desde que a minha consciência ambiental acordou que tenho adotado algumas estratégias para reduzir a quantidade de desperdícios na minha vida. Já aqui escrevi da reciclagem, e agora partilho convosco algumas ações que requerem pouco esforço, mas que contribuem para reduzir a quantidade de lixo que produzo enquanto trabalho (num escritório convencional).

 

Ir a pé para o trabalho

Andar a pé é o meio de locomoção mais ecológico e 100% sem desperdício. As outras opções, por ordem de ecologia, são: ir de bicicleta (ou skate, patins, trotineta), ir de transportes públicos ou partilhar o carro com o vizinho.

 

Eu tenho sorte de viver a 15 minutos a pé do trabalho e duas vezes por dia, cinco vezes por semana, faço as minhas caminhadas, aproveito para pensar na vida, desfrutar da vista e descomprimir. O mau tempo não serve de desculpa (até porque não tenho alternativas), e equipo-me de maneira a fazer o trajeto de forma confortável. Nos dias em que faz muito calor levo um chapéu, quando chove uso botas de borracha, chapéu de chuva e impermeável e quando neva (ou faz -15°C) acrescento um colete de penas e luvas.

 

OneNote, não imprimir e reciclar

Os escritórios são notáveis pelas quantidades de papel que gastam, muitas vezes sem ser necessário. Evitar lixo implica, se possível, encontrar meios alternativos para tirar notas (recusar), evitar as impressões desnecessárias e imprimir frente e verso (reduzir), e por fim, reciclar todos os documentos que já não são necessários (reciclar).

 

Tenho um caderno para tirar notas mas, 10 meses depois de ter começado este emprego, ainda nem sequer está escrito até meio. Tento escrever todas as minhas notas e processos no OneNote, uma espécie de caderno digital desenvolvido pela Microsoft. Além de não gastar papel, consigo ter tudo organizado por temas, posso juntar emails ou ficheiros de Excel às minhas notas e posso fazer pesquisas por palavra chave. O uso do OneNote no trabalho já me valeu elogios. Também evito utilizar a impressora, a última coisa que imprimi foi um contrato. Por fim, o pouco papel que cai na minha secretária, principalmente panfletos do sindicado e pacotes de bolachas, é reciclado.

 

Garrafa de água reutilizável

Beber água é essencial para estar vivo. Ter uma garrafa de água na secretária é meio caminho andado para beber água suficiente durante o dia. Em vez de comprar garrafas de água de plástico cada vez que se tem sede, a solução mais ecológica é ter uma garrafa reutilizável e encher sempre que preciso.

 

Eu passei imenso tempo à procura da garrafa de água perfeita. Tinha de ser de vidro, para não estar sujeita aos compostos nocivos libertados pelo plástico. Tinha de ter uma tampa, para não entornar água em cima de papeis importantes ou do teclado do computador. Tinha de ter um litro, para ser fácil calcular a quantidade de água que bebo por dia. Tinha de ser barata. Encontrei a resposta no supermercado. Escondidas no meio das garrafas-de-plástico-inimigas-do-ambiente estavam umas garrafas de vidro, iguais àquelas que os restaurantes usam para servir água. A minha garrafa ideal custou menos de 2€ e já veio cheia de água.

 

Caneca para o café (ou chá)

Café é muitas vezes sinónimo de produtividade, mas não tem de ser sinónimo de lixo. Uma opção é trazer café num termo. Tem a vantagem de ser quase totalmente desperdício zero, barato e da qualidade do café estar assegurada. Quem tem máquinas Nespresso ou semelhantes pode ter a sua chávena de loiça no trabalho e assim evitar as descartáveis.

 

Eu uso a minha própria chávena no escritório, tanto quando bebo café da máquina Nespresso de um colega, ou quando uso uma das máquinas de distribuição automática da empresa.

 

Marmita & talher

Outra forma barata e saudável de evitar desperdícios é levar uma marmita para o trabalho.

 

Normalmente, no início da semana, preparo comida vegetariana para a semana de trabalho. As caixas que uso são de vidro, reutilizáveis e não dão sabor à comida quando aquecidas. Uso apenas uma colher para comer que guardo no escritório, assim evito esquecimentos e a necessidade de usar talheres de plástico ou comer com as mãos. O saco onde trago a marmita é de plástico, mas já é o mesmo à vários meses.

  

20181003_131739.jpg

Há muitas fotos lindas na internet de kits zero waste que custam os olhos da cara, mas na verdade não é preciso muito dinheiro para construir um. O meu, que podem ver na foto, custou menos de 10€.

 

Mais algumas dicas:

  • Em vez de usar esferográficas descartáveis usar uma caneta de jeito (por exemplo de tinta permanente), lápis ou lapiseira de metal
  • Usar lápis de cor em vez de marcadores (os lápis são compostáveis, os marcadores são de plástico eterno)
  • Desligar o computador no final do dia de trabalho para poupar eletricidade
  • Mais inspiração aqui e aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2017
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2016
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2015
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2014
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2013
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2012
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ
  92. 2011
  93. JAN
  94. FEV
  95. MAR
  96. ABR
  97. MAI
  98. JUN
  99. JUL
  100. AGO
  101. SET
  102. OUT
  103. NOV
  104. DEZ
  105. 2010
  106. JAN
  107. FEV
  108. MAR
  109. ABR
  110. MAI
  111. JUN
  112. JUL
  113. AGO
  114. SET
  115. OUT
  116. NOV
  117. DEZ