Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Pequeno almoço rápido e (relativamente) saudável

Outubro 29, 2019

A minha rotina matinal está otimizada para perder o mínimo de tempo possível entre o momento em que saio da cama e o momento que chego ao trabalho. E isto significa não comer pequeno almoço em casa.

Com o tempo fui experimentando várias estratégias. Houve uma altura em que comia uns poucos frutos secos quando chegava ao escritório. Noutra altura comi uma espécie de queques à base de ovos e legumes na pausa da manhã. Uma semana cozinhei com antecedência panquecas proteicas para comer à secretária. Na maior parte das vezes opto por uma espécie de "jejum intermitente”. Ou seja, não como pequeno almoço e depois chamo-lhe um nome chique para dar ideia de que sei o que estou a fazer na minha alimentação.

O problema deste "jejum intermitente" é que se não comi o suficiente na noite anterior tenho sofro de fraqueza, começo a desfalecer em frente ao computador, fico com uma fome imensurável e acabo por comprar bolachinhas na máquina de vendas automática. Isto não é de todo uma solução, além de caro, comer bolachas com regularidade não faz parte do meu conceito de alimentação saudável.

Comecei a procurar uma alternativa mais saudável que bolachas, que fosse rápida de preparar, e que fosse completa ao nível de macronutrientes. Não sei bem como, encontrei "substitutos de refeição", uns pós que se misturam com água a e que depois se bebem/comem.

Há muitas marcas a vender este tipo de "substitutos de refeição", uma das mais antigas deve ser a HerbalLife, mas há imensas startups a vender comida em pó. Para encontrar o pó de pequeno almoço ideal esquadrinhei a internet com os seguintes critérios em mente:

Ingredientes: nada de lacticínios (por exemplo proteína de leite/whey), hidratos de carbono de boa qualidade, nada de ingredientes muito "artificiais".

Bom perfil de macronutrientes: uma quantidade decente de proteína, gorduras (sim, também são importantes) e hidratos de carbono de absorção lenta.

Sabor: um sabor neutro, que não seja muito doce. Já tive de me forçar a beber proteína em pó de ervilhas que sabia mesmo mal (eventualmente habituei-me). Já tive um whey de morango que era delicioso ao início, mas me deixou completamente enjoada a meio do frasco.

Preço: de preferência cada refeição deve custar menos que um pacote de bolachas (80 cent).

De todo um mundo de marcas de substitutos de refeição, comprei a Huel sabor original e depois a Feed versão Sport. Desde Fevereiro que são a minha opção preferida nos dias em que como pequeno almoço.

WhatsApp Image 2019-10-29 at 20.55.07.jpeg

 

Nos dias em que sei que vou ter fome de manhã, antes de sair de casa ponho um scoop de pó num shaker e levo para o trabalho. Quando me dá a fome (algures entre as 08h45 e as 10h00), ponho água da torneira no shaker, agito, agito, agito e depois como/bebo. Na maioria dos dias como em frente ao computador enquanto leio emails. Como não é uma comida com um cheiro forte não incomoda os meus colegas e como está dentro de um shaker a probabilidade de me sujar ou de entornar em cima do computador é muito reduzida. Quando acabo de beber, junto mais água e bebo o resto. Já me aconteceu não passar o shaker por água depois de o utilizar, e o cheiro um ou dois dias depois é nauseabundo.

Como este ano já comi dois sacos de Huel e como comecei um saco de Feed o mês passado, acho que estou pronta para fazer uma pequena comparação ou review destes dois "substitutos de refeição".

Screen Shot 2019-10-29 at 21.54.59.png

Eu admito que nenhuma destas opções é o suprassumo da comida saudável, mas tendo em conta o meu ritmo de vida e a minha preguiça, é uma opção mais saudável e mais barata que bolachinhas. Recomendo!

Parabéns Blog!

Outubro 19, 2019

O blog faz hoje 2 anos desde o seu renascimento. Foi um ano em que escrevi muito menos do que tinha previsto. Por um lado, tive trabalho a sério o que me deixou com menos disponibilidade para escrever. Por outro lado, durante os meses de verão perdi a motivação. No total, publiquei 36 post (vs 52 no ano passado), mudei de template, mudei outra vez de template e de nome, tive muitos comentários (113! Para ser exata, pelo menos metade são meus). Para eternizar o momento aqui está o printscreen das estatísticas de visitas à data de hoje:      

Screen Shot 2019-10-19 at 14.58.15.png

Os picos de visitas vêm dos destaques do Sapo. Confesso quanto tive o meu primeiro destaque não percebi muito bem o que se estava a passar, quando finalmente vi artigo na página de destaques do Sapo até me vieram lágrimas aos olhos (obrigado Sapo!).  

Screen Shot 2019-10-19 at 14.59.31.png

Se quiserem ler (ou reler) aqui estão os links: ser como as árvores; 30 dias sem comer doces; os 5R e a casa de banho. Para além dos artigos destacados, houve dois artigos que me orgulho particularmente. Um sobre a minha intenção de doar mais (e consegui!) e outro sobre não comprar coisas para o meu eu-imaginário.      

Obrigado a todos os que leem e comentam. O melhor deste ano foi ter mais leitores regulares, que eu considero como amigos-imaginários-da-internet-que-existem-de-verdade.

 

2018

Pílula, Acne e PCOS

Outubro 11, 2019

Esta semana o meus níveis de procrastinação foram muito elevados e "não tive tempo" de escrever. Para não deixar de publicar decidi reciclar uma resposta que foi originalmente escrita neste post.

Eu tomei várias pílulas em períodos diferentes. Da ultima vez (algures em 2015), apesar da pílula ter controlado o meu acne, os efeitos secundários afetaram a minha qualidade de vida ao ponto de começarem a afetar também a minha relação. Chegou um momento em que entre o acne ou os efeitos secundários da pílula, preferi o acne. Mudei para um contracetivo não hormonal (DIU) e, 3 anos depois, posso dizer que foi a melhor decisão que podia ter tomado. O acne voltou mas a minha personalidade também, com a vantagem de não me ter lembrar diariamente de tomar um comprimido.
 
No mesmo período o meu ginecologista recomendou que eu tomasse um anti androgénico para o acne, o que recusei. Estava farta de hormonas artificiais, achei que os efeitos secundários não valiam a pena o risco, e não percebi como é que tomar hormonas por um certo período de tempo iria melhorar o meu acne para sempre.
 
Foi nesta altura que comecei a pesquisar seriamente sobre acne. Primeiro na Wikipédia, em blogs e no Youtube. Depois em artigos científicos que ia encontrando no Google Scholar, que li às dezenas. Tão importante quanto a pesquisa foi prestar ao meu corpo. Eventualmente encontrei aquilo que funcionou para mim.
 
Hoje, o meu acne está controlado. Não tenho pele de bebé, continuo a ter poros largos e algumas cicatrizes, mas já não tenho acne inflamado. De vez em quando ainda tenho uma borbulha, mas normalmente é porque comi algo que não devia. Além da minha rotina de cuidados de pele e de ter deixado de usar maquilhagem no dia a dia, a verdadeira solução foi tratar-me a partir de dentro, deixar de comer lacticínios e deixar andar stressada. Como estas mudanças foram suficientes nunca tomei nenhum suplemento além de (ocasionalmente) probióticos.
 
Em relação ao PCOS eu tive sorte. Nunca tive outros sintomas além ter acne e císticos nos ovários (confirmado com um ultrassom). Sempre tive períodos quase sem dores e relativamente pouco abundantes.
 
Li rapidamente a pagina da Wikipedia sobre "tratamentos" para PCOS. Além da pílula há outros "tratamentos" que passam pela melhoria da sensibilidade à insulina e pela toma de "suplementos" ou medicamentos. Para melhorar a sensibilidade à insulina, além da alimentação low carb é recomendado exercício. Como "suplemento" pode-se tomar myo-inositol.

 

Eu não tenho qualquer formação na área da saúde e nunca experimentei myo-inositol. Recomendo que façam a tua própria pesquisa, que se informem dos potenciais riscos e benefícios e, de preferência, que falem com um profissional de saúde. 

 

O inositol é um "poliálcool cíclico" que é produzido naturalmente pelo corpo humano e que tem vindo a ser cada vez mais usado como terapia para o PCOS sob a forma de suplemento. Pode ser comprado na Amazon (por exemplo) sem necessidade de receita médica.

 

¥ Funciona aumentando a sensibilidade à insulina, o que ajuda a melhorar a função ovariana e reduzir o hiperandroginismo.
¥ É eficaz no restabelecimento da relação FSH / LH e da regularização do ciclo menstrual
¥ Uma eficácia superior a 70% com um forte perfil de segurança é relatada
(traduzido da Wikipedia)

Cápsula Outono 2019

Outubro 04, 2019

Tudo começou no início de 2017 quando decidi que tinha de otimizar a forma como me visto para o trabalho e escrevi pela primeira vez sobre a minha cápsula. Em 2018 voltei a escrever o assunto e, em 2019, aqui estou de novo. Podem parecer muitos artigos sobre um tópico limitado, mas escrever sobre a forma como me visto ajuda-me a refletir sobre a imagem que quero transmitir, a roupa que uso no dia a dia e motiva-me para fazer compras de forma propositada.

Este outono, além de falar das peças que tenho e quero comprar, decidi ter uma abordagem diferente e explicar o processo pelo qual crio a minha cápsula.

 

1. A minha vida

Comecei por perceber onde passo o meu tempo enquanto estou acordada e que tipo de roupa preciso de vestir para cada situação.

Screen Shot 2019-10-04 at 23.37.36.png

Para fazer desporto tenho um guarda roupa separado. Consiste em: soutiens de desporto + t-shirts + leggings + sapatilhas. Dependendo do desporto tenho alguma roupa especializada (kimono, calças de equitação, fato de banho e touca, etc).

Em casa tenho um uniforme. Varia consoante a temperatura dentro do apartamento. Quando está calor (no verão e assim que o aquecimento central é ligado) uso t-shirts largas que já viram melhores dias + calções. Quando está frio uso leggings de algodão + camisolas de manga comprida. Uma coisa que não muda, independentemente da estação, são crocs, com ou sem meias.

O fim de semana é aquela altura em que eu gostava de me vestir de forma cool e ir a sítios. A minha roupa não é tão cool quanto gostaria, e não vou a tantos sítios fixes quanto gosto de imaginar. Em relação à roupa já comecei a recolher inspirações para afinar o meu sentido de estilo fora-do-trabalho. Em relação a ir a sítios, a partir de janeiro vou ter mais sítios fixes para visitar, só vou precisar de vontade para sair de casa.

Por último, o local onde passo quase metade da minha vida, é o trabalho (incluindo deslocações ida/volta + horas de almoço). O dress code é bastante relaxado, mas mesmo assim eu gosto de estar apresentável e semi-formal. Como a roupa de trabalho é aquela em que passo mais tempo a minha cápsula de outono (e este artigo) vai ser pensado do ponto de vista desta cápsula.

 

2. Inspiração

Vivo numa cidade pequena. Além dos adolescentes-fashionistas-versão-poliéster, ninguém se importa com o que tem vestido. Aliás, dá para perceber quando alguém não é da cidade só pela forma como se vestem. No escritório é parecido, as pessoas vestem-se mais ou menos como lhes apetece e na minha secção há apenas 4 pessoas que se vestem de forma interessante.

Como não tenho inspiração na vida real, utilizei a internet. Fui vendo Youtube, lojas online, fiz pesquisas no Pinterest, espreitei o Instagram... Há medida que via coisas que me interessavam, fui guardando tudo num board do Pinterest.

Deixo-vos duas sugestões de vídeos:

CASUAL FALL OUTFITS 2019

FASHION TRENDS FALL-WINTER 2019-2020 & how to wear them ǀ Justine Leconte

 

3. Cores

Há uns anos percebi que a forma de ter tudo a combinar é usar poucas cores. Desde então as minhas cores base são preto + cinzento + branco + azul (em todos os tons) e algum vermelho vivo. Tudo em peças de cor única, sem padrões (salvo muito raras exceções) e sem logótipos. 

Design sem nome.png

eu a tentar ser artística

Para este outono, vou utilizar preto + cinzento + branco + bege + azul + vermelho, e talvez incorpore uma peça verde, se tiver a certeza que não vai causar demasiada interferência com o resto das cores da minha cápsula.

Explicando o verde, desde o verão que comecei a sentir uma atração estranha pelo verde. Eu que já em 2013 dizia que não gostava de verde, de repente, comprei um vestido verde esmeralda que realça a cor dos meus olhos. A minha ideia foi que ao comprar um vestido, como é uma peça única, não preciso de tentar fazer combinações com o resto das cores do meu guarda-fatos.

 

4. Pensar na roupa que preciso

Trabalho 5 dias por semana. Em número de peças preciso: 2 pares de calçado; 5 calças; 1 saia de inverno; 3 camisolas de malha; 2 camisas de algodão; 2 camisas de seda (ainda em modo experimental); 2 casacos de escritório; 4 casacos de rua.

Ora aqui está a bela da tabela que também estava presente nos meus outros artigos sobre cápsulas.

Screen Shot 2019-10-05 at 00.00.45.png

No total são 21 peças que dão para 43 combinações diferentes. Significa que só preciso de repetir combinações a cada mês e meio. Também significa não preciso de repetir cada conjunto mais do que duas vezes, porque daqui em janeiro vou ter de atualizar a minha cápsula para roupa mais invernosa.

 

5. Olhar para o que já tenho

Depois de esta parte conceptual passei ao meu guarda roupa. Pus as roupas de verão para lavar e abri as arcas do tesouro com a minha roupa de outono-inverno.

IMG_3621.JPG

Houve alguma roupa que deixei arrumada, porque é demasiado quente para as temperaturas que ainda se sentem. Avaliei a roupa de outono que tenho, e apenas não gostei de umas calças. Estão bastante usadas e quase a romper em vários sítios, portanto achei melhor pô-las na reciclagem.

Conclusão: tenho 3 calças + 3 camisas + 3 camisolas de malha + 5 casacos e 1 par de botas.

 

6. Lista de compras

Preciso de comprar (assinalado a azul na tabela):

  • 2 pares de calças largas
  • 1 saia de inverno
  • 1 camisa de algodão
  • 1 casaco de escritório
  • 1 sapatos de inverno

 

As coisas verdadeiramente urgentes para comprar são as calças porque 3 partes de baixo não são suficientes para eu andar convenientemente vestida no trabalho. O resto quero comprar lentamente, à medida que forem aparecendo promoções, e que eu tenha a certeza de que preciso mesmo da roupa adicional.

 

7. Fotos

Porque uma "alma penada" me pediu fotos (que orgulho, tenho leitores que me pedem coisas), decidi ativar um Instagram para o blog e todos os dias durante o mês de Outubro tirar uma foto da roupa que usei para o trabalho.

 

Ficam avisados. As fotos são más. Não mostro a cara. Não sei fazer poses. Não passo a ferro. Sou completamente iniciante nesta vida do Instagram e tenho muito, mesmo muito, a aprender e a melhorar. Por favor sejam bondosos em relação ao meu Insta.

 

Além publicar fotos, vou apontar o que gosto e o que não gosto de cada conjunto, pedir sugestões e afinar a roupa que ainda tenho que comprar para melhorar esta cápsula.

 

Aqui esta o link: https://www.instagram.com/sersenhora/

O nome é: sersenhora

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D