Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Antes de ir de férias estava a pensar escrever um post sobre como bronzear, pensei mesmo em tomar suplementos para aproveitar ao máximo os 3 dias de praia que tive este ano. Rapidamente percebi que por muito dedicadamente que trabalhasse para o bronze, dificilmente ia conseguir ficar com um tom dourado-maravilhoso. Não é que eu seja tão branca que não consiga bronzear, mas desde que comecei a trabalhar, em vez de ir à praia, passo o verão em frente a um computador. Como resultado a minha cor mantém-se mais ou menos uniforme o ano todo.

 

Não aconteceu de um momento para o outro, mas este ano, ao aperceber-me da impossibilidade de me bronzear, decidi aceitar a minha cor. Espero que possam usar a mesma técnica que eu para aceitar a vossa brancura, ou outras características físicas com que não se sintam confortáveis.

 

Este método é totalmente não cientifico, fruto do acaso e da minha experiência.

 

1. Decidi que me quero aceitar como sou

Sou branca. Não vou conseguir mudar isto este ano. Vou aceitar a minha cor.

 

2. Vi uma pessoa feia* bronzeada

Eu vi uma colega de trabalho que não considero bonita extremamente bronzeada. Como o bronze não fez nada pela beleza dela comecei a associar na minha mente bronze = pouco bonito.

 

3. Vi imagens de pessoas que além de bonitas* são pálidas.

Não consegui voltar a encontrar, mas houve uma imagem especifica que me fez pensar que uma cor mais clara também é bonita. Foi aí que percebi que não faz mal ser branca.

 

4. Disse a toda a gente que me aceito como sou

Além de dizer à minha família que aceito a minha brancura, também tive de resistir aos infindáveis comentários sobre a minha falta de cor. E não me esqueci de usar protetor e de me pôr debaixo do chapéu quando o sol estava mais forte.

 

5. Tentei não me comparar com os outros

Principalmente não me comparar com a minha prima, que depois de 5 minutos ao sol fica com marcas de bikini.

 

 

Aceitar o meu corpo nem sempre é fácil. É um percurso que começou na adolescência e ainda não está terminado. Há alturas em que penso que aceitei completamente as minhas características físicas, e depois apercebo-me de qualquer coisa que me baixa a moral. No caso deste post, como sou branca o ano todo, só precisei de fazer um pequeno ajuste mental. Demorei bastante mais tempo a aceitar as minhas pernas, ou a sentir-me confiante com uma depilação menos que perfeita.

Aceito a minha brancura

Aceito o meu único (por enquanto) cabelo branco

Aceito que as minhas pernas tremam um bocadinho

Aceito que o meu cabelo seja encaracolado

Aceito os dedos das minhas mãos 

 

Não aceito o pelo que me nasce de um sinal do queixo. Cortei-o.

Não aceito os 3 kilos que tenho a mais. Comecei a ir ao ginásio 3 vezes por semana e estou, timidamente, a ajustar o meu plano alimentar.

Não aceito o meu acne. Aprendo sobre cosmética, sobre cuidados com o rosto e ponho em pratica o qu aprendo.

 

A vida é muito mais agradável se achar que o reflexo que o espelho me devolve é bonito e maravilhoso. Portanto, ou mudo ou me aceito como são.

 

*o bonito e o feio são muito relativos

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Vânia a 29.08.2018 às 11:08

Eu também aceito a minha "brancura" :)
Ultimamente também tenho pensado nisso, até porque toda a gente se põe com comentários do género: "Ai, o sol a ti não te pega", "Ai és mesmo branquinha", "Até a tua prima de 8 anos é mais morena" blah blah blah.
Sinceramente, o que eu respondo logo é "eu também não faço por ficar morena" ou "sou descendente de celtas" ou ainda replico com "Prefiro ser branca do que morena artificial".
As pessoas preocupam-se demasiado com a vida dos outros não é? E perdem oportunidades de estar caladas.
Eu não me importo de ser branca, e como digo às vezes, eu quero ficar "dourada" não por mim, mas para me pararem de chatear com isso.
Este ano respondo à letra e quem não gostar que meta uma rolha haha
Passei só para saberes que não és a única, e que não temos a boa vida de todo o ano andar feitas croquetes. É bom saber que há mais pessoas que pensam como eu.

Beijinho e continua o bom trabalho*
Imagem de perfil

De marttokas a 29.08.2018 às 22:18

Obrigado pelo apoio :)

Eu costumo ouvir: "andas a tomar banho em lixívia" ou "tens que sair mais à rua", normalmente do meu pai. Mas como passo pouco tempo em Portugal, não oiço este tipo de bocas com frequência e é mais fácil ignorar que responder.

Comentar post



Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2017
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2016
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2015
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2014
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2013
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2012
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ
  92. 2011
  93. JAN
  94. FEV
  95. MAR
  96. ABR
  97. MAI
  98. JUN
  99. JUL
  100. AGO
  101. SET
  102. OUT
  103. NOV
  104. DEZ
  105. 2010
  106. JAN
  107. FEV
  108. MAR
  109. ABR
  110. MAI
  111. JUN
  112. JUL
  113. AGO
  114. SET
  115. OUT
  116. NOV
  117. DEZ