Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Livros que li em 2019

Janeiro 23, 2020

1. Anna Karénina, Lev Tolstoi

Nunca li um livro com personagens tão realista.

2. Hippie, Paulo Coelho

Não gostei. Parece que foi escrito só porque o autor tinha de publicar qualquer coisa este ano.

3. Lolita, Vladimir Nabokov

Outro autor russo. O que mais me chocou foi que apesar do livro ser sobre uma rapariga chamada de Lolita, não sabemos nada sobre ela. O leitor apenas a vê pela lente obsessiva e unidimensional do narrador-protagonista.

4. Catching Caden, Samantha Christy

Literatura cor de rosa.

5. Famille Zéro Déchet, J. Pichon & B. Moret

Para me motivar a fazer menos desperdício e praticar o francês.

6. An All Consuming Century, Gary S. Cross

Sobre o desenvolvimento da sociedade consumista ao longo dos últimos 100 anos, com um foco nos Estados Unidos.

7. Les Jardins de Lumière, Amin Maalouf

Uma biografia ficcionada sobre Mani, um profeta quase esquecido.

8. The Moment of Lift, Melinda Gates

Um abre-olhos sobre os desafios que as mulheres enfrentam em países em desenvolvimento.

9. Warbreaker, Brandon Sanderson

Literatura fantástica, disponibilizada gratuitamente pelo autor aqui.

10. I Will Teach You to Be Rich, Ramit Sethi

Tem alguns princípios interessantes, mas é demasiado americano para ser muito útil a alguém que viva na Europa.

11. Stone Vows, Samantha Christy

Mais literatura cor de rosa. 

12. The Five Love Languages, Gary Chapman

De acordo com o autor cada pessoa pessoa tem uma maneira principal de expressar e receber amor, são elas: receber/dar presentes, tempo de qualidade, palavras de afirmação, atos de serviço, toque físico. 

13. O que Farei Quando Tudo Arde, António Lobo Antunes

Demorei meses para terminar. Não gostei.

14. Under Heaven, Guy Gavriel Kay

Mais literatura fantástica, desta vez de um dos meus autores preferidos.

15. Inês, João Aguiar

Gostei. O segundo livro de um autor português que li este ano.

Screen Shot 2020-01-18 at 22.26.10.png

Li menos livros que no ano passado. Li mais ficção. Li mais em português. Li também demasiados livros de autores dos Estados Unidos. Às vezes sinto que estou demasiado exposta a conteúdo americano, e sofro uma espécie de "colonização cultural" que quero corrigir este ano.

Boas leituras para 2020. 

2019 e Previsões para 2020

Janeiro 01, 2020

Foi um ano bom.

Depois de uma grande crise existencial-profissional, passei de um emprego chato, para um emprego interessante e 6% mais bem pago. As minhas poupanças atingiram um nível nunca antes visto e, apesar de ainda não ter feito as contas finais, acho que consegui ultrapassar o meu objetivo de doações para o ano.

Não li 4 livros de autores portugueses, mas li dois: "O que farei quando tudo arde" de António Lobo Antunes e "Inês de Portugal" de João Aguiar.

O meu Juji evoluiu. Fiz muitas caminhadas, a mais memorável foi uma de 30km com mais de 2.000 metros de desnível acumulado, que me deixou sem me conseguir mexer no dia seguinte. Também tive 6 meses de aulas de equitação, que trouxeram muita alegria aos meus fins de semana.

Viajei. Fui à Colômbia, Croácia, a Portugal, Itália, Taizé, Amesterdão, Londres e Munique. Fiz mais algumas viagens de um dia a países vizinhos, e visitei algumas cidades francesas. 

Disse adeus a França.

Em 2020 vou estar num novo país.

Vou continuar no mesmo emprego, mas vou apenas trabalhar 4 dias por semana. Vou utilizar o resto do meu tempo para testar 2 projetos profissionais alternativos. 

Em 2020 quero fazer uma grande caminhada a pé em autossuficiência. Dependendo do tempo, da companhia e do orçamento disponível, estou a pensar no Tour du Mont Blanc (França, Suiça e Itália), ou no John Muir Trail (USA). 

Tenho feito um bom trabalho a manter amizades apesar da distancia, mas em 2020 quero fazer mais amigos no sitio onde vivo. Se por um lado é difícil fazer amigos enquanto adulta, por outro é a altura de deixar de depender das circunstâncias e procurar amigos intencionalmente, que tenham os mesmos interesses e valores que eu. 

 

Ultimo ponto, no ano que passou o blog cresceu muito  Obrigado a tod@s os que acompanham o que eu escrevo. Um bom ano para vocês!

Nanowrimo 2019

Novembro 01, 2019

Decidi participar no Nanowrimo outra vez. Depois de em 2018 apenas ter conseguido escrever 13.752 palavras este ano decidi adaptar ligeiramente as regras para consegui chegas às 50.000 palavras:

 

  1. Vou escrever sobre tudo o que me apetecer. Não precisa de ser ficção, podem ser artigos para o blog, relatos do meu dia a dia, as minhas Teorias sobre a Vida. Pode ser que tente o desafio dos Pássaros, ou algumas writting prompts do Reddit.
  2. Posso escrever na língua que me apetecer. O ano passado escrevi em inglês e depois não consegui editar o texto. Este ano quero escrever principalmente em português.
  3. Todos os dias vou dedicar 25 minutos à escrita.

 

unnamed.jpg

Mais alguém vai participar? Querem que partilhe um pouco aquilo que escrevi o ano passado?

Parabéns Blog!

Outubro 19, 2019

O blog faz hoje 2 anos desde o seu renascimento. Foi um ano em que escrevi muito menos do que tinha previsto. Por um lado, tive trabalho a sério o que me deixou com menos disponibilidade para escrever. Por outro lado, durante os meses de verão perdi a motivação. No total, publiquei 36 post (vs 52 no ano passado), mudei de template, mudei outra vez de template e de nome, tive muitos comentários (113! Para ser exata, pelo menos metade são meus). Para eternizar o momento aqui está o printscreen das estatísticas de visitas à data de hoje:      

Screen Shot 2019-10-19 at 14.58.15.png

Os picos de visitas vêm dos destaques do Sapo. Confesso quanto tive o meu primeiro destaque não percebi muito bem o que se estava a passar, quando finalmente vi artigo na página de destaques do Sapo até me vieram lágrimas aos olhos (obrigado Sapo!).  

Screen Shot 2019-10-19 at 14.59.31.png

Se quiserem ler (ou reler) aqui estão os links: ser como as árvores; 30 dias sem comer doces; os 5R e a casa de banho. Para além dos artigos destacados, houve dois artigos que me orgulho particularmente. Um sobre a minha intenção de doar mais (e consegui!) e outro sobre não comprar coisas para o meu eu-imaginário.      

Obrigado a todos os que leem e comentam. O melhor deste ano foi ter mais leitores regulares, que eu considero como amigos-imaginários-da-internet-que-existem-de-verdade.

 

2018

Cápsula Outono 2019

Outubro 04, 2019

Tudo começou no início de 2017 quando decidi que tinha de otimizar a forma como me visto para o trabalho e escrevi pela primeira vez sobre a minha cápsula. Em 2018 voltei a escrever o assunto e, em 2019, aqui estou de novo. Podem parecer muitos artigos sobre um tópico limitado, mas escrever sobre a forma como me visto ajuda-me a refletir sobre a imagem que quero transmitir, a roupa que uso no dia a dia e motiva-me para fazer compras de forma propositada.

Este outono, além de falar das peças que tenho e quero comprar, decidi ter uma abordagem diferente e explicar o processo pelo qual crio a minha cápsula.

 

1. A minha vida

Comecei por perceber onde passo o meu tempo enquanto estou acordada e que tipo de roupa preciso de vestir para cada situação.

Screen Shot 2019-10-04 at 23.37.36.png

Para fazer desporto tenho um guarda roupa separado. Consiste em: soutiens de desporto + t-shirts + leggings + sapatilhas. Dependendo do desporto tenho alguma roupa especializada (kimono, calças de equitação, fato de banho e touca, etc).

Em casa tenho um uniforme. Varia consoante a temperatura dentro do apartamento. Quando está calor (no verão e assim que o aquecimento central é ligado) uso t-shirts largas que já viram melhores dias + calções. Quando está frio uso leggings de algodão + camisolas de manga comprida. Uma coisa que não muda, independentemente da estação, são crocs, com ou sem meias.

O fim de semana é aquela altura em que eu gostava de me vestir de forma cool e ir a sítios. A minha roupa não é tão cool quanto gostaria, e não vou a tantos sítios fixes quanto gosto de imaginar. Em relação à roupa já comecei a recolher inspirações para afinar o meu sentido de estilo fora-do-trabalho. Em relação a ir a sítios, a partir de janeiro vou ter mais sítios fixes para visitar, só vou precisar de vontade para sair de casa.

Por último, o local onde passo quase metade da minha vida, é o trabalho (incluindo deslocações ida/volta + horas de almoço). O dress code é bastante relaxado, mas mesmo assim eu gosto de estar apresentável e semi-formal. Como a roupa de trabalho é aquela em que passo mais tempo a minha cápsula de outono (e este artigo) vai ser pensado do ponto de vista desta cápsula.

 

2. Inspiração

Vivo numa cidade pequena. Além dos adolescentes-fashionistas-versão-poliéster, ninguém se importa com o que tem vestido. Aliás, dá para perceber quando alguém não é da cidade só pela forma como se vestem. No escritório é parecido, as pessoas vestem-se mais ou menos como lhes apetece e na minha secção há apenas 4 pessoas que se vestem de forma interessante.

Como não tenho inspiração na vida real, utilizei a internet. Fui vendo Youtube, lojas online, fiz pesquisas no Pinterest, espreitei o Instagram... Há medida que via coisas que me interessavam, fui guardando tudo num board do Pinterest.

Deixo-vos duas sugestões de vídeos:

CASUAL FALL OUTFITS 2019

FASHION TRENDS FALL-WINTER 2019-2020 & how to wear them ǀ Justine Leconte

 

3. Cores

Há uns anos percebi que a forma de ter tudo a combinar é usar poucas cores. Desde então as minhas cores base são preto + cinzento + branco + azul (em todos os tons) e algum vermelho vivo. Tudo em peças de cor única, sem padrões (salvo muito raras exceções) e sem logótipos. 

Design sem nome.png

eu a tentar ser artística

Para este outono, vou utilizar preto + cinzento + branco + bege + azul + vermelho, e talvez incorpore uma peça verde, se tiver a certeza que não vai causar demasiada interferência com o resto das cores da minha cápsula.

Explicando o verde, desde o verão que comecei a sentir uma atração estranha pelo verde. Eu que já em 2013 dizia que não gostava de verde, de repente, comprei um vestido verde esmeralda que realça a cor dos meus olhos. A minha ideia foi que ao comprar um vestido, como é uma peça única, não preciso de tentar fazer combinações com o resto das cores do meu guarda-fatos.

 

4. Pensar na roupa que preciso

Trabalho 5 dias por semana. Em número de peças preciso: 2 pares de calçado; 5 calças; 1 saia de inverno; 3 camisolas de malha; 2 camisas de algodão; 2 camisas de seda (ainda em modo experimental); 2 casacos de escritório; 4 casacos de rua.

Ora aqui está a bela da tabela que também estava presente nos meus outros artigos sobre cápsulas.

Screen Shot 2019-10-05 at 00.00.45.png

No total são 21 peças que dão para 43 combinações diferentes. Significa que só preciso de repetir combinações a cada mês e meio. Também significa não preciso de repetir cada conjunto mais do que duas vezes, porque daqui em janeiro vou ter de atualizar a minha cápsula para roupa mais invernosa.

 

5. Olhar para o que já tenho

Depois de esta parte conceptual passei ao meu guarda roupa. Pus as roupas de verão para lavar e abri as arcas do tesouro com a minha roupa de outono-inverno.

IMG_3621.JPG

Houve alguma roupa que deixei arrumada, porque é demasiado quente para as temperaturas que ainda se sentem. Avaliei a roupa de outono que tenho, e apenas não gostei de umas calças. Estão bastante usadas e quase a romper em vários sítios, portanto achei melhor pô-las na reciclagem.

Conclusão: tenho 3 calças + 3 camisas + 3 camisolas de malha + 5 casacos e 1 par de botas.

 

6. Lista de compras

Preciso de comprar (assinalado a azul na tabela):

  • 2 pares de calças largas
  • 1 saia de inverno
  • 1 camisa de algodão
  • 1 casaco de escritório
  • 1 sapatos de inverno

 

As coisas verdadeiramente urgentes para comprar são as calças porque 3 partes de baixo não são suficientes para eu andar convenientemente vestida no trabalho. O resto quero comprar lentamente, à medida que forem aparecendo promoções, e que eu tenha a certeza de que preciso mesmo da roupa adicional.

 

7. Fotos

Porque uma "alma penada" me pediu fotos (que orgulho, tenho leitores que me pedem coisas), decidi ativar um Instagram para o blog e todos os dias durante o mês de Outubro tirar uma foto da roupa que usei para o trabalho.

 

Ficam avisados. As fotos são más. Não mostro a cara. Não sei fazer poses. Não passo a ferro. Sou completamente iniciante nesta vida do Instagram e tenho muito, mesmo muito, a aprender e a melhorar. Por favor sejam bondosos em relação ao meu Insta.

 

Além publicar fotos, vou apontar o que gosto e o que não gosto de cada conjunto, pedir sugestões e afinar a roupa que ainda tenho que comprar para melhorar esta cápsula.

 

Aqui esta o link: https://www.instagram.com/sersenhora/

O nome é: sersenhora

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D