Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Pílula, Acne e PCOS

Outubro 11, 2019

Esta semana o meus níveis de procrastinação foram muito elevados e "não tive tempo" de escrever. Para não deixar de publicar decidi reciclar uma resposta que foi originalmente escrita neste post.

Eu tomei várias pílulas em períodos diferentes. Da ultima vez (algures em 2015), apesar da pílula ter controlado o meu acne, os efeitos secundários afetaram a minha qualidade de vida ao ponto de começarem a afetar também a minha relação. Chegou um momento em que entre o acne ou os efeitos secundários da pílula, preferi o acne. Mudei para um contracetivo não hormonal (DIU) e, 3 anos depois, posso dizer que foi a melhor decisão que podia ter tomado. O acne voltou mas a minha personalidade também, com a vantagem de não me ter lembrar diariamente de tomar um comprimido.
 
No mesmo período o meu ginecologista recomendou que eu tomasse um anti androgénico para o acne, o que recusei. Estava farta de hormonas artificiais, achei que os efeitos secundários não valiam a pena o risco, e não percebi como é que tomar hormonas por um certo período de tempo iria melhorar o meu acne para sempre.
 
Foi nesta altura que comecei a pesquisar seriamente sobre acne. Primeiro na Wikipédia, em blogs e no Youtube. Depois em artigos científicos que ia encontrando no Google Scholar, que li às dezenas. Tão importante quanto a pesquisa foi prestar ao meu corpo. Eventualmente encontrei aquilo que funcionou para mim.
 
Hoje, o meu acne está controlado. Não tenho pele de bebé, continuo a ter poros largos e algumas cicatrizes, mas já não tenho acne inflamado. De vez em quando ainda tenho uma borbulha, mas normalmente é porque comi algo que não devia. Além da minha rotina de cuidados de pele e de ter deixado de usar maquilhagem no dia a dia, a verdadeira solução foi tratar-me a partir de dentro, deixar de comer lacticínios e deixar andar stressada. Como estas mudanças foram suficientes nunca tomei nenhum suplemento além de (ocasionalmente) probióticos.
 
Em relação ao PCOS eu tive sorte. Nunca tive outros sintomas além ter acne e císticos nos ovários (confirmado com um ultrassom). Sempre tive períodos quase sem dores e relativamente pouco abundantes.
 
Li rapidamente a pagina da Wikipedia sobre "tratamentos" para PCOS. Além da pílula há outros "tratamentos" que passam pela melhoria da sensibilidade à insulina e pela toma de "suplementos" ou medicamentos. Para melhorar a sensibilidade à insulina, além da alimentação low carb é recomendado exercício. Como "suplemento" pode-se tomar myo-inositol.

 

Eu não tenho qualquer formação na área da saúde e nunca experimentei myo-inositol. Recomendo que façam a tua própria pesquisa, que se informem dos potenciais riscos e benefícios e, de preferência, que falem com um profissional de saúde. 

 

O inositol é um "poliálcool cíclico" que é produzido naturalmente pelo corpo humano e que tem vindo a ser cada vez mais usado como terapia para o PCOS sob a forma de suplemento. Pode ser comprado na Amazon (por exemplo) sem necessidade de receita médica.

 

¥ Funciona aumentando a sensibilidade à insulina, o que ajuda a melhorar a função ovariana e reduzir o hiperandroginismo.
¥ É eficaz no restabelecimento da relação FSH / LH e da regularização do ciclo menstrual
¥ Uma eficácia superior a 70% com um forte perfil de segurança é relatada
(traduzido da Wikipedia)

A minha rotina de pele II

Abril 25, 2018

A primeira parte do post está aqui.

Photo on 4-25-18 at 18.10.jpg

Limpeza

Ao nível da limpeza estou estabilizada. Nos raros dias em que uso maquilhagem limpo primeiro com o óleo de limpeza da Claudalie (que tem durado uma eternidade). Depois uso um gel de limpeza da Ducray* para peles com tendência acneica. 

 

Três pontos importantes ao escolher os vossos agentes de limpeza. O óleo não deve conter óleos minerais (aka parafin, petrolatum, ect) porque pode obstruir os poros. Se utilizarem um gel de limpeza, este não deve conter Sodium Laureth Sulfate e deve ter um ph ácido. 

  

Ácido / Tónico / Esfoliante

O tónico ou ácido têm um efeito esfoliante, poros ficam limpos e a pele fica mais uniforme. Uma vez que a esfoliação é química o resultado é mais uniforme e menos agressivo para a pele.

 

Como a minha pele é sensível, uso o ácido salicílico da The Ordinary apenas 3 vezes por semana. Uso um disco de algodão para fazer a aplicação e, desde que o comecei a fazer, noto que a minha pele deixou de estar avermelhada no dia depois de usar o ácido.

 

Água

Eu sei que mostrei alguma descrença no efeito de borrifar a cara com água cara, mas é verdade é que noto uma ligeira diferença. É muito mais fácil espalhar cremes numa cara húmida que numa pele perfeitamente enxuta. Tenho andado a usar a Eau de Vigne de Claudalie*.

 

Creme de Olhos

A comprar urgentemente, não estou a ficar mais nova nem com menos rugas! Ainda não me dediquei a procurar intensamente, mas quero algo que não seja caro, que não tenha silicones, que seja hidratante e que faça efeito. Alguém tem recomendações?

 

Ando a pensar neste* mas ainda não estou 100% convencida

 

Sérum / Óleos / Essências

Recentemente tenho usado 3 produtos nesta categoria: o Ácido Hialuronico da The Ordinary; o Buffet também da The Ordinary e a Essência Hydraliane da SVR.

 

Usei o Ácido Hialuronico da The Ordinary durante uns meses, no Outono/Inverno, e acho que teve o efeito exatamente oposto na minha pele. Penso que o facto de passar a grande maioria do tempo em espaços aquecidos e muito secos faz com que não haja humidade suficiente na atmosfera para que o ácido hialuronico funcione de maneira apropriada. Quando deixei de usar este sérum passei imediatamente para o Buffet.

 

O Buffet da The Ordinary é um sérum com muitas coisas boas misturadas, incluindo peptídeos. De há 2 meses para cá que uso este sérum à noite, nos dias em que não uso Ácido Salicílico e, apesar de não conseguir especificar o exatamente o efeito deste sérum na minha pele, houve uma melhoria positiva.

 

A mais recente inclusão na minha rotina foi a Essência Hydraliane da SVR. O produto vem num frasco azul e é muito fluido, aplico-o todos os dias à noite e de manhã quando sinto a minha pele mais desidratada. Como o comecei a usar há pouco tempo ainda não tenho uma opinião formada, mas se quiserem daqui a umas semanas posso escrever um post com uma análise dos ingredientes.

 

Não preciso de adicionar nenhum produto nesta fase da minha rotina, mas se quisesse experimentar coisas novas adicionava ou um Roseship Oil ou/e um sérum de niacinamida da The Ordinary.

 

Creme Hidratante

Foi difícil arranjar um substituto para o meu mui amado Sensifiane da SVR. Quando a embalagem que estava a usar acabou comecei a usar o meu creme de corpo (que não tem silicones, tem niacinamida, mas é rico de mais para a minha pele). Fiz algumas pesquisas, passei algum tempo na farmácia a ler rótulos e segui o conselho da Caroline Hirons de escolher um creme de rosto de acordo com o tipo de pele e de não gastar demasiados €€ neste passo da rotina. Acabei por me decidir pelo Sensidiane da Noreva*.

 

Protetor Solar

Confesso que não uso protetor no dia a dia. Ainda não me informei sobre os benefícios do protetor vs absorção de vitamina D.

 

Os links com (*) são afiliados.

A minha rotina de pele I

Abril 18, 2018

Fui a Portugal na Páscoa e a minha mãe, o meu irmão, a minha tia e a minha esteticista elogiaram a minha pele :) Devo estar a fazer alguma coisa de correto, portanto quero partilhar convosco a minha rotina de pele e os passos que tomei para a desenhar.

 

Comecei por fazer um auto diagnóstico. Aqui podem ler artigo de alguém que é muito mais educado no assunto que eu mas, de maneira resumida, a pele pode ser a ser classificada em 4 tipos (normal, seca, oleosa, mista) e 5 estados (desidratada, sensível, hiperpigmentada, envelhecida, acne, rosácea). Para complicar, cada zona do rosto pode ser de um tipo diferente e ter estados diferentes.

 

A minha pele é quase tudo. O tamanho dos meus poros na testa, nariz, queixo e bochechas é o sinal típico de pele oleosa nestas zonas. As linhas finas entre os poros são um sintoma de desidratação. Apesar dos meus esforços continuo a ter umas borbulhas de vez em quando. Começo a ter rugas nas zonas dos olhos. E, a cereja no topo do bolo, é a sensibilidade que se manifesta com a facilidade com que fico vermelha.

Screen Shot 2018-04-18 at 13.19.02.png 

Depois deste primeiro passo a identificar as os tipos e estados da minha pele comecei a pensar numa rotina. A minha fonte de informação foi a Caroline Hirons, tanto para saber que aspetos tratar primeiro como também para saber quais os diferentes passos e tipos de produtos que devem ser incluídos numa uma rotina de pele.

 

De acordo com a CH uma rotina de pele deve ter os seguintes passos: limpeza (dupla à noite), esfoliação, spray hidratante, creme de olhos, sérum/óleos, creme hidratante, protetor (apenas de manhã). Em relação aos problemas a tratar, a ordem de prioridade é a seguinte: sensibilidade > desidratação > oleosidade > acne.

 

Picture1.png

Icons daqui 

 

No próximo post falarei dos produtos que uso em casa fase da minha rotina de pele. Hoje quero apenas falar-vos de algumas mudanças que, apesar de não estarem diretamente relacionadas com a minha rotina de pele, me ajudaram a atingir uma tez mais elogiosa. 

 

Deixei de molhar a cara no chuveiro

Eu gosto de tomar banho com muito água quente e inevitavelmente molhava a cara, principalmente ao encher a boca de água (eu sei que é um hábito estranho). Como a água demasiado quente compromete a barreira da pele, decidi deixar este mau hábito. Simplesmente comecei a lavar os dentes antes do duche e deixei de molhar a cara no banho. A minha pele agradece. 

 

Deixei de comer lacticínios

Pode parecer estranho, mas os lacticínios interferem de maneira indireta com a produção de sebo e hormonal, o que pode resultar em acne. A explicação longa com referências cientificas está aqui

 

Deixei de usar produtos com silicone ou óleo mineral

O silicone (aka dimethiconecyclopentasiloxane, etc) e o óleo mineral (aka parafin, petrolatum, etc) podem obstruir os poros, e são dois ingredientes a ser evitados por pessoas com pele acneica. Já aqui narrei a minha difícil procura por um creme de rosto sem silicones. O que ainda não tinha partilhado é que também não uso cremes de corpo com silicones ou óleos minerais. O condicionador de cabelo também não contém silicones.

 

Amanhã publico um post com os produtos que uso em casa fase da minha rotina.

Como Usar Ácido Salicílico

Dezembro 06, 2017

Nome

Ácido salicílico aka Beta-Hidroxiácido aka BHA aka C7H6O3

 

Idade

Conhecido desde 400 aC, mas apenas foi isolado em 1827.

 

Descrição

O acido salicílico é um esfoliante químico amplamente usado em cosmética e particularmente recomendado para pele acneica. É conhecido pela capacidade penetrar nos poros e pelas propriedades anti-bacterianas, anti-inflamatórias e pelo efeito regulador de sebo.

Acido SAlidico Nu (1).png

 

O produto

Salicycilic Acid 2% - The Ordinary (5.30 €)

 

Ingredientes

Aqua (Water), Hamamelis Virginiana Leaf Water, Cocamidopropyl Dimethylamine, Salicylic Acid, Dimethyl Isosorbide, Trisodium Ethylenediamine Disuccinate, Citric Acid, Polysorbate 20, Hydroxyethylcellulose, Ethoxydiglycol, Potassium Sorbate, Sodium Benzoate, 1,2-hexanediol, Caprylyl Glycol.

 

A minha experiência 

Toda entusiasmada com a minha nova aquisição decidi começar a usar acido salicílico todos os dias, da mesma forma que as bloggers de skincare fazem. Não notei nenhum efeito imediatamente depois da aplicação, ou seja, nada de ardores, picadas, ou alguma sensação de desconforto.

 

Dois ou três dias nesta rotina e comecei a sentir a minha pele a reagir de forma estranha. Principalmente sensibilidade às mudanças de temperatura, sempre que entrava numa sala mais quente ficava com a impressão de estar completamente vermelha. Parei de usar o ácido imediatamente e voltei à minha rotina de base (gel limpeza + agua termal + creme hidratante).

 

Percebi que não estava a usar o produto na forma mais correta e decidi educar-me. Aqui está a minha nova rotina:

 

  • Começar a utilização de forma faseada, dando tempo à pele para se habituar aos novos produtos

                           Semana 1: Uma vez (Domingo)

                           Semana 2: Duas vezes (Domingo & Quinta)

                           Semana 3: Duas vezes (Domingo & Quinta)

                           Semana 4: Três vezes (Domingo & Terça & Quinta)

                           Semana 5: reavaliar

  • Nos dias em que uso ácido salicílico é durante a minha rotina de noite, logo após o gel de limpeza.
  • Aplico 2 gotas uma de cada lado da zona do maxilar/queixo. Aplico 2 gotas num disco de algodão. Espalho pela cara usando pancadinhas e evitando toda a zona dos olhos
  • Eu sei que devia usar protetor, mas é Inverno e só vejo o sol durante 15 minutos, nos dias em que tenho sorte, portanto prefiro apanhar um bocadinho de vitamina D 

 

Produtos alternativos

Controlar Acne Hormonal (e outros)

Novembro 06, 2017

Ultimamente o meu acne anda-me a incomodar. Incomoda-me porque tenho 26 anos, e exceto em alguns períodos de tempo bastante reduzidos, já vivo há 14 anos com borbulhas na cara.

 

Mais uma vez decidi atacar o problema. Eu sei que o meu acne é principalmente hormonal e está relacionado com o Síndrome de Ovário Polícistico. Além disto, reparei que durante as minhas férias em Cuba, não tive nenhuma borbulha ativa. Porquê? Houve 3 diferenças principais em relação ao meu estilo de vida normal: andei a usar um creme de rosto novo; não comi nenhum lacticínio (o leite não é abundante em Cuba) e como estava de férias o meu nível de stress foi zero.

 

Penso que o acne não é apenas uma questão cutânea, mas sim um resultado de processos dentro do organismo. A única solução eficaz de longo termo é tratar a origem do problema e não apenas usar cremes que tratam os sintomas. Assim, estive a fazer pesquisa de como posso controlar o que parecem ser os principais originadores do meu acne: hormonas, lacticínios e stress.

 

Hormonas

Um dos períodos sem acne foi enquanto tomava a pílula. Foi a primeira confirmação que o meu acne está relacionado com questões hormonais. Isto foi reforçado quando o meu ginecologista me diagnosticou com PCOS, uma das características desta condição é o excesso de hormonas andrógenas e acne [1].

 

Como não quero tomar a pílula, fazer terapias hormonais ou tomar medicamentos estive à procura de alternativas "naturais". Parece que a suplementação de myo-inositol melhora as alterações hormonais relacionadas com o PCOS. A dose recomendada é de 2 a 4 gr por dia [2]

 

Parece também que o PCOS também está associado a uma maior resistência à insulina. Dietas baixas em hidratos de carbono e cetogénicas podem diminuir a insulina em jejum e diminuir a quantidade de testosterona livre [3].

 

Lacticínios

Já me tinha apercebido mais vezes da conexão entre lacticínios e borbulhas horrorosas. Enquanto estive na China e comia iogurte quase todos os dias o meu acne estava anormalmente mau (a poluição também teve culpa). Só fiquei totalmente convencida anos depois, no dia em que só comi pão com queijo ao almoço e notei um agravamento da situação da minha pele (= borbulhas horrorosas) quase imediato. Pesquisei um pouco e isto foi o que encontrei:

 

  • Os leite (principalmente o de vaca) estimula a produção de insulina e eleva os níveis de IGF-1 no sangue o que, por sua vez, estimula a produção de sebo [4]
  • O leite tem hormonas andrógenas que pode levar ao aparecimento acne [5]

 

Neste caso a única solução é não consumir lacticínios. Nada de iogurtes, queijo, natas, leite, gelados e sobremesas que usem produtos lácteos como ingredientes.

 

Stress

Nunca achei que o stress influenciasse o estado da minha pele. Também, nunca experimentei verdadeiramente stress até ao ano passado. Por enquanto esta questão está totalmente resolvida com a minha falta de emprego. Já neste post tinha abordado que o stress pode impactar o acne, mas aqui está mais uma referencia:

 

  • O stress pode influenciar a regulação do feedback nas glândulas sebáceas, induzindo o desenvolvimento de inflamação [6].

 

Quando os meus níveis de stress aumentarem sei que o exercício e a meditação me ajudam a relaxar. Também parece que um suplemento de L-Lysine tem um efeito ansiolítico, pode aliviar o stress mental e ajuda na formação de colagénio, essencial para uma pele bonita [7]. Pode haver mais suplementos/mudanças de estilo de vida que possam ter impactos significativos sobre o stress e acne, mas eu não pesquisei o assunto com maior profundidade. 

 

Plano de ação:

Comecei por implementar o mais fácil. Mentalizei-me e eliminei por completo os lacticínios da minha alimentação. Desde Setembro, e até ao Natal, tenho evitado por completo queijos deliciosos, manteiga, iogurtes (que substituí por iogurtes de soja), etc. O mais difícil é evitar lacticínios misturados em sobremesas e comidas preparadas. No outro estive a enfardar húmus, e quando li a lista de ingredientes vi que tinha leite na composição. Claro que umas horas depois tinha uma borbulha na bochecha esquerda. Desde que deixei os lacticínios, a comida de que tenho mais saudades é pizza, pizza cheia de queijo a derreter.

 

 

Não tenho qualquer formação na área de saúde. Todas as informações presentes neste artigo vêm das fontes acima. Podem haver erros de tradução. Falem com o vosso medico/dermatologista antes de iniciarem qualquer tipo de tratamento para o acne. Escrevo por recreação, declino qualquer tipo de responsabilidade pelo uso da informação aqui presente.

 

[1] BUNKER, C.B., NEWTON, J. A., KILBORN, J., PATEL, A., CONWAY, G.S., JACOBS, H.S., GREAVES, M.W. and DOWD, P. M. 1989.  Most women with acne have polycystic ovaries.

[2] Costantino, D., et al. "Metabolic and hormonal effects of myo-inositol in women with polycystic ovary syndrome: a double-blind trial." Eur Rev Med Pharmacol Sci 13.2 (2009): 105-110.

[3] Mavropoulos, John C., et al. "The effects of a low-carbohydrate, ketogenic diet on the polycystic ovary syndrome: a pilot study." Nutrition & metabolism 2.1 (2005): 35.

[4] Melnik, B.C. and Schmitz, G., 2009. Role of insulin, insulin-like growth factor-1, hyperglycaemic food and milk consumption in the pathogenesis of acne vulgaris.

[5] Bowe, W., Patel, N., & Logan, A. 2014). Acne vulgaris, probiotics and the gut-brain-skin axis: from anecdote to translational medicine. 

[6] Zouboulis ChC. 2004.  Neuroendocrine regulation of sebocytes – a pathogenetic link between stress and acne.

[7] Singh, Meenu et al. 2011 Medicinal Uses of L-Lysine: Past and Future.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D