Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Ser Senhora

Esta é a história de como me tornei Senhora. Uma Senhora a sério.

Como nao ser uma lesma*

Maio 19, 2020

As primeiras semanas de confinamento não foram fáceis. Deixei Londres, voltei à aldeia para casa dos meus pais e pelo caminho torci um pé. Ainda para mais, em Março, passei duas semanas em exclusão social, mais ou menos entre a cama, a secretária e a sanita.

O mês de Abril começou mais ou menos do mesmo modo. Passei a ver algumas pessoas à distância, mas no geral continuei num modo de preguiça generalizada, o que começou a afetar o meu humor e a minha crença no sentido da vida. Tive de agir.

Para me incentivar a fazer coisas, fiz uma tabela no meu BuJo, com um quadrado para cada dia do mês de Abril, e cada quadrado dividido em quatro. Depois pensei em quatro áreas de atividade diferentes, que tivessem um impacto positivo na minha vida. Escolhi áreas generalista para poder ter várias opções e escolher o que me apetecesse fazer, ou o tempo permitisse, ou o que fosse mais urgente, em vez de me sentir obrigada a fazer a mesma atividade especifica todos os dias e depois perder a motivação e acabar por não fazer nada. Aloquei uma cor a cada área de atividade e cada dia colori um quadrado de acordo com o que fiz.

IMG_1703_blog.jpg

A primeira área de atividade que escolhi foi o exercício porque apesar de acreditar que os humanos são desenhados para se mexerem, o meu estilo de vida tornou-se extremamente sedentário e o exercício contribui muito para a melhoria do meu humor. Depois escolhi a criatividade, porque é uma área que descurei um pouco nos últimos anos que quero desenvolver. A terceira atividade escolhida foram ações produtivas; há uma série de pequenas tarefas que é preciso fazer para viver na sociedade e eu tenho tendência para as adiar o mais possível. Por último atividades que requeiram pensar; infelizmente o trabalho não me traz estimulação intelectual suficiente, portanto tenho de a encontrar de outra forma. 

Houve dias em que não consegui fazer uma atividade de cada. Houve dias em que só consegui dedicar alguns minutos a algumas atividades (células contornadas com cor). E, no dia 29 & 30 esqueci-me de colorir e depois já não me lembrava do que tinha feito. No verso da pagina da foto, fui escrevendo o que fiz em cada categoria.

IMG_1702_blog_LI.jpg

Com este método consegui motivar-me a fazer coisas e, como as fui registando, senti-me mais produtiva. Usar cores, surpreendentemente, também me motivou. Em Abril fui mais ativa. Andei a pé, fiz alongamentos em dias de chuva, andei de bicicleta, passei o cão, subi escadas quando era demasiado tarde para sair à rua, arranquei as ervas das batatas e pintei paredes. Em Abril expressei a minha criatividade. Escrevi dois artigos para o blog, escrevi uma carta e pintei a óleo, seguindo os tutoriais do Bob Ross, algo que já queria fazer há muito tempo. Em Abril fui produtiva. Tratei de uma série de pequenos assuntos que tinham de ser tratados, lavei tachos, fiz bolos, destralhei o quarto e organizei o computador. Em Abril usei o cérebro, principalmente para ler.

/

Em Maio estou a fazer algo ligeiramente diferente. Tenho feito exercício quase todos os dias, tenho pintado no fim de semana e voltei a ter um hábito de leitura regular. Portando, em vez continuar a fazer quatro atividades diferentes por dia, estou a implementar alguns hábitos novos que impactam a minha vida positivamente.

Os especialistas recomendam é implementar um único novo hábito durante 21 dias, mas eu (até agora) estou a focar-me em 3 hábitos diferentes. Não estou a tentar implementar tudo de uma vez e tornar-me uma pessoa diferente de um dia para o outro, porque acho que é insustentável e nunca funciona. Comecei por um hábito simples, e acrescentei novos hábitos gradualmente, à medida que me sentia preparada.

Como aprendi com a experiência de Abril que tomar nota do que faço todos os dias e utilizar cores é muito motivante, estou a utilizar a primeira pagina do mês de Maio para ir registando o meu progresso.

IMG_1701_blog.jpg

Comecei por um hábito fácil de implementar, que ocupa pouco tempo, e que requer pouca motivação. Desde o dia 4 de Maio, tenho feito os exercícios para a coluna que o osteopata me recomenda. Só demoro dois minutos, é bom para a minha postura e foi um hábito que tive durante muito tempo e que quero reestabelecer. Como comecei por algo muito simples, passados 3 dias já me sentia suficientemente à vontade para implementar um novo hábito.  

Desta vez, escolhi algo que tenho dificuldade em fazer consistentemente, mas que toda a gente diz que tem um impacto positivo na vida. Ligeiramente inspirada pela Desarrumada, decidi começar a ter uma pratica diária de “trabalho interior” ou atividades de “autoconsciência” ou de “desenvolvimento pessoal”.

Como de cada vez que tentei meditar diariamente falhei, decidi adotar a estratégia de Abril e, em vez de me tentar obrigar a meditar todas as noites, tenho 3 tipos de atividades dentro do mesmo género por onde escolher – escrever, meditar e respirar. Ainda posso acrescentar mais uma atividade à mistura, mas até agora ainda não senti necessidade de mais nada (deixem sugestões nos comentários). Cada noite posso escolher o sinto que é mais beneficial para mim, ou o que me parece requerer menos esforço. Assim, não estou a fazer coisas contrariada, só porque tenho de riscar mais um dia no calendário e a minha motivação tem-se mantido. Nas ultimas semanas escrevi sobre os meus sentimentos e sobre as muitas mudanças por que estou a passar; “tentei” meditar, umas vezes guiada pela aplicação Calm e outras sozinha; e fiz três sessões de respirar ou "breathwork", a primeira das quais me deixou ligeiramente pedrada (aqui esta o vídeo se quiserem experimentar). Demorei 6 dias sentir que este hábito estava suficientemente consolidado para acrescentar outro à mistura.

Para o terceiro hábito deste mês, escolhi de novo algo simples, mas que tenho andado a negligenciar. Beber água. Já é a terceira (1, 2) vez que falo de beber água neste blog, o que demonstra a importância que dou a este hábito e o quão facilmente deixa de fazer parte da minha vida.

É claro que bebo água e cacau e chá, mas ultimamente andava a sentir que os meus níveis de hidratação não eram ótimos e que algum do meu cansaço era devido à falta de água. O objetivo é beber duas garrafas de água (aproximadamente 75cl), todos os dias. Até agora já me apercebi que prefiro garrafas de vidro onde possa ver o nível de água, em vez da de alumínio que ando a usar. Idealmente encho a garrafa logo de manhã, para beber um pouco enquanto me preparo para o dia, mas que durante o resto da manhã não vale a pena forçar-me a beber muito, porque as duas chávenas de cacau que tomo são líquidos suficiente. Normalmente consigo atingir o objetivo antes de o dia de trabalho acabar.

Por enquanto são estes os 3 novos hábitos de Maio. Tenho mais alguns em mente, mas quero consolidada melhor beber 2 garrafas de água por dia antes de introduzir coisas novas. Gostei tanto do método que segui em Abril como do que estou a seguir este mês, e sinto que estou a usar o meu tempo de forma construtiva.

 

Acharam alguma destas técnicas interessantes? O que funciona para vocês?

 

*estou sem ideias para títulos

Bullet Journal 2020

Janeiro 30, 2020

2020 vai ser o meu terceiro ano a usar um Bullet Journal consistentemente.

No ano passado comecei de forma ambiciosa, mas a cada mês o meu Bullet Journal foi-se tornando cada vez mais simples. As páginas mensais bonitas que partilhei no blog aqui só duraram até Fevereiro. O calendário mensal vertical só durou até Abril. Em Maio tenho escritos aleatórios. Em Junho não escrevi absolutamente nada. A partir de Julho os escritos aleatórios continuam. Apesar da minha falta de estrutura consegui usar o caderno completamente até ao fim. O meu BUJO acabou por ser um misto de diário, reflexões mensais, pensamentos aleatórios sobre a vida, lista de coisas a fazer, notas dos meus trabalhos de "freelance", e diagramas para o blog. Curiosamente uma das páginas que mais usei foi uma onde escrevi, nas letras maiores possíveis, o nome da terra onde vivia. Usei-a muitas vezes para apanhar boleia de volta a casa.

Este ano vou optar por um BUJO menos estruturado. Tenho algumas páginas iniciais que gostei de usar nos anos anteriores, mas mensalmente quero continuar com a mistura aleatória de lista de tarefas, pensamentos e diário. 

A primeira página é muito simples, apenas com o ano 2020 e a palavra que quero trabalhar este ano.

WhatsApp Image 2020-01-26 at 16.01.58.jpeg

Depois tenho os meus objetivos para 2020. São 11 pontos. Alguns objetivos são SMART e relativamente fáceis de atingir, outros são intenções onde é um pouco difícil de medir o meu sucesso. São objetivos nas áreas de desenvolvimento pessoal, finanças pessoais, e coisas que quero fazer da vida. Perdi o BUJO que tinha preparado no inicio do ano e tive de fazer um novo. Como não me lembro exatamente dos objetivos que tinha definido esta página ainda está em branco.

Algo que comecei em 2019 e que vou manter, são as duas páginas com todos os anos. Assim consigo ter uma perspetiva rápida do que se vai passar durante o ano e ajuda-me a projetar-me para o ano todo, em vez de me projetar para a próxima semana (que é a minha tendência natural).

Depois tenho a página para tomar nota dos livros que vou lendo durante o ano. Já tenho 4, “O livro do Desassossego” comecei o ano passado, mas é um livro para ir lendo devagarinho. “The Perennial Philosophy” que comecei em 2018 (já vou a 54%) mas é bastante denso e só o costumo ler quando tenho dificuldades em adormecer. Os outros dois livros são aqueles que já li este ano.

WhatsApp Image 2020-01-26 at 16.01.59.jpeg

Uma novidade em 2020 é a página de filmes e séries. Este ano um dos meus objetivos é consumir mais cultura Europeia (e portuguesa), e estar menos exposta a propaganda americana. A forma que encontrei para equilibrar a origem daquilo a que assisto é ir tomando nota e, compensar à medida que for necessário.

Mensalmente, vou continuar a separar um mês do outro, mas da forma mais simples possível, apenas com o nome do mês no início de uma página. Depois vou escrever aquilo que me apetecer e que a vida me proporcionar. Também quero fazer uma reflexão no final de cada mês. Foi algo que fiz em alguns meses nos anos passados, e é algo que quero fazer mais consistentemente este ano.

WhatsApp Image 2020-01-26 at 16.02.00.jpeg

Este ano tenho um Bullet Journal com tão pouca estrutura que é simplesmente um caderno com um nome chique.

A grande diferença este ano é que vou usar dois cadernos adicionais. Uma pequena agenda, onde quero escrever eventos e pequenas coisas que se passam na minha vida, para depois ser mais fácil fazer uma revisão mensal e não ter de fazer calendários à mão no BUJO. O outro caderno para o meu trabalho como “freelance”, com notas de reuniões, tarefas especificas, etc. porque quero separar completamente a minha vida pessoal das minhas vidas profissionais.

 

Se quiserem espreitar aqui está 2019, 2018 e 2014 (que durou só um mês).

Bullet Journal 2019

Janeiro 18, 2019

Eu preferia fazer este post no final do ano, depois de ter usado o bullet journal consistentemente (tal como fiz em 2018). Mas, a pedido de alguns leitores  d@ Descontos* partilho o meu bullet journal para 2019. 

 

Materiais 

Comprei o caderno ideal. A capa é de plástico, portanto não vai ficar desfeita com o passar dos meses. Tem argolas, o que me dá mais jeito para escrever e facilita virar ou arrancar páginas. Tem folhas brancas,  porque as linhas limitam a minha criatividade. E cada folha é muito espessa. A parte melhor foi que custou menos de 5€. 

 

Comprei também uma fita washi caríssima. Fui influenciada pelas pessoas do Youtube que têm bullet journals lindos cheios de fita washi. A esta influencia juntou-se a minha preguiça natural de comprar coisas online e acabei por trazer a fita do supermercado. Confesso que glitter não é uma coisa de que goste muito, mas era a opção menos feia que havia. Para escrever este post pesquisei na Amazon e há fitas super giras *muito* mais baratas. 

 

Tesoura. Porque só tinha uma tesoura para as unhas dos pés o que não da jeito para cortar papel. 

 

Cola em baton. Para colar cenas. 

20190207_185936 (1).jpg

(foto quando voltar para casa) 

 

Páginas iniciais 

Capa – está tenho de lhe colar qualquer coisa para esconder as cagadas que fiz.

 

Calendário anual – imprimi, escrevi a lápis o numero de cada semana e colei na pagina 2 do bullet journal (na primeira tentativa comecei a escrever o numero das semanas a caneta e enganei-me). 

 

Objetivos de 2019 – no final do ano tirei um tempo para refletir na minha vida, pensar nas diversas áreas que a compõem e definir alguns objetivos SMART. Confesso que nesta página nem tudo são objetivos, tenho também alguns hábitos que quero implementar/mudar e intenções.   

 

Future log – as minhas paginas preferidas que introduzi inspirada por outros bullet journal que vi e uma das mudanças em relação a 2018. Consigo ter uma visão futura dos próximos meses e começar a planear algumas coisas com antecedência.

 

Livros – este ano comecei com a Anna Karennina, que foi uma prenda de Natal. Em 2019 o meu objetivo é ler 4 livros de autores portugueses contemporâneos (aceito sugestões). 

 

Devia ter deixado uma pagina ou duas em branco para outras coisas que me lembre... mas só me lembrei depois de ter começado Janeiro. 

Design sem nome (2).jpg

Páginas Mensais 

Calendário do mês - que imprimi e colei seguindo a sugestão da Cristina

 

Calendário detalhado – porque aqui posso escrever pequenas notas de eventos / como foi correndo o meu dia 

 

Semana 1 – as minha lista de coisas a fazer 

Design sem nome (1).jpg

Ideias 

Há algumas coisas que tenho vontade de experimentar. 

  • Mood tracker 
  • Habit tracker 
  • Em vez de separar tarefas por semana, faze-lo por dias 
  • Fazer desenhos mais "artísticos" 
  • Começar a escrever um diário... 

 

* Uau, tenho leitores! Tenho leitores que me pedem para escrever! Que momento de orgulho na minha carreira bloguística.

Bullet Journal 2018

Dezembro 21, 2018

Este foi o primeiro ano em que usei consistentemente uma agenda do início ao fim do ano. Não usei uma agenda no sentido tradicional do termo, usei um caderno de argolas com folhas brancas (aquele que tinha a melhor relação preço-beleza), que utilizei como bullet journal.

Como não vi este vídeo antes de começar, organizei o meu bullet journal da maneira que me apeteceu.

 

Página 1 Boas vindas ao ano que esta a chegar + palavra do ano

Página 2 Objetivos para 2018 (assim olho para eles frequentemente e motivo-me)

Página 3 Livros que li durante o ano (que no meu caso está na página 9 porque só me lembrei mais tarde)

Design sem nome (1).png

 

De Janeiro a Maio estive muito motivada, criei uma página por mês com objetivos mensais, todas as semanas organizei menus semanais, o trabalho do blog e, no fim de cada mês, escrevi uma avaliação de como correu o meu mês.

 

Página M Calendário do mês + objetivos de para o mês

Página M+1 Detalhe diário de todo os mês com os fins de semana assinalados

Página seguintes tarefas e notas da semana (relacionadas com o blog, menus semanais, planeamento de viagens, com objetivos que quero atingir ou com a burocracias inerentes a ser humana na sociedade ocidental)

Última página do mês avaliação do mês que passou

Design sem nome (2).png

Em Junho não escrevi absolutamente nada.

 

Em Julho tentei recomeçar. E depois continuei mais ou menos ao acaso. Desisti de fazer páginas mensais e comecei a fazer um registo semanal. Passei da semana 32 até à semana 46 sem escrever uma única palavra. Tenho algumas páginas de questionamentos existenciais/profissionais. A ultima semana em que tirei notas foi na semana 48.  

 

Em 2018 aprendi que sou mais produtiva quando uso o bullet journal e que me sinto mais descansada quando escrevo as tarefas que tenho a fazer em vez de as guardar na cabeça. Em 2019 quero fazer melhor. Vou adicionar mais algumas páginas (calendário anual e future log). Ando a pesquisar ideias e a pensar numa forma de me motivar o ano todo. Também estou a pensar numa maneira de capturar vários interesses numa única agenda.

Bullet Journal

Fevereiro 07, 2014

Então Senhoras, aspirantes e cavalheiros que visitam este blog, já compraram a vossa agenda para 2014? Então não comprem.

 

Apresento-vos o Bullet Journal !

 

Em toda a minha vida devo ter usado umas duas agendas. Uma enquanto andava no secundário, extremamente fininha que usava para apontar as datas dos testes e, mais tarde, uma do Fernando Pessoa que tinha o mesmo objectivo. Nos anos em que não tinha agenda fazia uma bela folha com os dias e meses do ano onde ia apontando os exames. Depois ia fazendo listas de coisas a fazer que colava-as nas paredes do quarto. E depois perdia as listas. Também guardava todos os talões e no fim do mês colectava-os numa folha de Excel e de vez em quando ia escrevendo alguns pensamentos em folhas soltas que se perderam todas. 

 

No inicio do ano descobri o sistema que parece perfeito para mim. Estive a testar durante o mês de Janeiro e, embora ainda precise de algumas afinações, parece ser mesmo ideal. Até sinto a minha produtividade a aumentar, ligeiramente.

 

 

 Avisem-me se experimentarem.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D